Guarulhos terá R$ 250 milhões de investimentos em saneamento básico em 2023

0
99

A cidade de Guarulhos receberá uma série de melhorias em saneamento básico no ano que vem, promovidas pela Sabesp, que perfazem um investimento de R$ 250 milhões. O foco da companhia, que firmou parceria com a Prefeitura em 2019 para cuidar do abastecimento de água, da coleta e do tratamento de esgoto na cidade, é melhorar a qualidade de vida da população e como consequência promover a despoluição do rio Tietê.
A principal obra é a unidade de recuperação da qualidade (URQ) da água, a ser instalada na Ponte Grande e que estará em funcionamento já em 2023. Sozinha, ela será responsável por tratar 30% do esgoto de Guarulhos, principalmente aquele que provém da região central da cidade. Trata-se de um investimento de R$ 68,5 milhões e, quando completamente operacional, a URQ tratará 1.000 litros por segundo de esgoto, ou 7 mil toneladas de dejetos em um ano de uma população estimada em 600 mil pessoas. Com a obra, o mau cheiro de determinados locais da Ponte Grande irá desaparecer. “O bairro será substancialmente valorizado”, comentou o prefeito Guti.
Outra grande intervenção é a construção das Estações de Tratamento de Esgoto (ETEs) Cabuçu e Fortaleza, que deverão estar completamente operacionais até o final de 2024, mas cujos investimentos já começam no ano que vem, em um total de R$ 76 milhões. Cerca de 56 mil pessoas de ambos os bairros e do Recreio São Jorge serão beneficiadas pelas ETEs, que tratarão 9,1 milhão de litros de esgoto por mês, ou 3% de tudo o que é produzido em Guarulhos.
Haverá ainda R$ 70 milhões investidos em coletores-tronco por toda a cidade, que são as estruturas que levam o esgoto até as ETEs já em operação: Várzea do Palácio, Bonsucesso, Jardim São João, Parque Novo Mundo e São Miguel, essas duas últimas na Capital, mas que também atendem Guarulhos. O coletor da avenida Natália Zarif, por exemplo, atenderá uma população estimada em 37,7 mil pessoas e apenas ele será responsável por encaminhar para tratamento 2,46% do esgoto de Guarulhos.
Já o coletor Zapara, na Vila Galvão, que levará o esgoto à ETE Parque Novo Mundo, atenderá 43,1 mil pessoas e responderá pelo tratamento de 2,81% de todos os dejetos produzidos na cidade, com um investimento de R$ 15 milhões. Há ainda coletores no Lavras, no Jardim Jade e no Parque Residencial Bambi que, somados, atenderão 27,1 mil pessoas e irão tratar 1,78% do esgoto de Guarulhos. Outros seis coletores-tronco, que responderão pelo tratamento de 14,93% do esgoto da cidade, o que representa 230 mil pessoas atendidas, também estão incluídos no cronograma de 2023.
Água
O investimento em Guarulhos não se resume a obras de esgoto. A construção de dois grandes reservatórios no Jardim Centenário, obra de R$ 28 milhões já em andamento, irá garantir que a disponibilidade de água triplique na região do Pimentas até o segundo semestre de 2023, o que irá beneficiar uma população de 200 mil pessoas.
O reservatório atual do Centenário possui capacidade para 5 milhões de litros de água. Serão erguidos outros dois com a mesma capacidade; portanto, 15 milhões de litros no total. A região do Pimentas, como toda a cidade, já não tem mais rodízio de água desde dezembro de 2019, menos de um ano após a Prefeitura firmar parceria com a Sabesp. Os novos reservatórios servirão para garantir uma maior segurança hídrica no caso de vazamentos de água ou de falta de energia elétrica, que prejudica o abastecimento por impedir que as casas de bombas, que fazem a distribuição da água, funcionem.
Outra importante intervenção é a adutora de 1,5 km que liga a cidade de Itaquaquecetuba ao bairro de Bonsucesso, que irá aumentar a oferta de água em 100 litros por segundo, o suficiente para abastecer uma população de 30 mil pessoas e o equivalente ao produzido pela Estação e Tratamento de Água (ETA) Tanque Grande, em Guarulhos. Trata-se de uma região em constante expansão de moradores e empresas e a obra dará mais segurança aos que decidirem investir no bairro.
Desde janeiro de 2019 já foram instalados 63,5 km de redes adutoras em Guarulhos e trocados 65 mil ramais de água, além da substituição de 237 mil hidrômetros.
Despoluição do rio Tietê
No final de setembro o governo do Estado assinou um contrato de financiamento com o Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) no valor de US$ 79,9 milhões, com uma contrapartida de US$ 20,1 milhões. Esses US$ 100 milhões (o equivalente a mais de R$ 520 milhões pela cotação do dólar desta quarta-feira [5]) serão investidos em 12 municípios, o que inclui Guarulhos, e beneficiarão 3 milhões de pessoas.
Trata-se do projeto Renasce Tietê, que tem o objetivo de recuperar o rio nos próximos anos, e para isso as ações em Guarulhos são fundamentais. Com as obras acima descritas e mais outras pontuais, a Prefeitura estima que, até o final de 2023, 40% do esgoto da cidade seja tratado, número que deve subir a 70% ao final de 2024, último ano da atual administração municipal, que assumiu a cidade, em 2017, com apenas 2% do esgoto tratado. –