Prefeitura avança nos trâmites para construção do Hospital infantil de Guarulhos

0
71

A partir desta terça-feira (4) um grupo de trabalho da Prefeitura irá definir as etapas que envolvem o edital, as consultas públicas, a contratação e a abertura do certame das obras do novo Hospital Infantil de Guarulhos (HIG), que será construído em uma área pública no Parque Santo Agostinho, com recursos da iniciativa privada, a partir do Programa de Parcerias e Investimentos do governo federal.
A estruturação do projeto é realizada pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) com o apoio do Consórcio Modelagem Hospital Guarulhos, liderado pela empresa Houer Consultoria e Concessões Ltda. O projeto se encontra em fase de análise dos instrumentos de edital, contratos e demais anexos, para a validação das condições estabelecidas.
O secretário municipal da Saúde, Ricardo Rui, falou sobre a importância do projeto e do grupo de trabalho, que irá se reunir por três dias. “Atuo em Guarulhos há mais de 30 anos, mas nunca vi um projeto desse porte. Será um marco histórico para o município e também para todas as cidades do Alto Tietê, já que Guarulhos é o principal polo dessa região e aumentaremos significativamente o número de leitos para crianças e adolescentes”, comentou.
O projeto teve início em 2018, quando o Departamento de Incentivo às Parcerias Público-Privadas da Prefeitura iniciou as tratativas com o BNDES, celebrando um acordo de cooperação técnica com o objetivo de planejar e estruturar projetos de desestatização.
O novo Hospital Infantil Guarulhos estima aumentar em 70% a capacidade de atendimento ao público com até 17 anos em relação ao prédio atual, que hoje tem 88 leitos. O espaço, que será construído em uma área de 6.670 m² da Prefeitura próxima ao Terminal Taboão e à Linha 13-Jade da CPTM, contará com 150 leitos entre clínica médica, cirúrgica, psiquiátrica e ortopédica, divididos em emergência, enfermaria, unidade de terapia intensiva (UTI), centro cirúrgico e hospital-dia.
O complexo terá setores com separação por sexo e idade, exclusivos para pacientes internados ou em observação. No apoio ambulatorial serão 22 especialidades e cirurgias eletivas, incluindo diagnóstico com ressonância, tomografia, ultrassonografia, nasolaringoscopia e raios X.
Atualmente o Hospital Municipal da Criança e Adolescente, único público exclusivamente infantil em toda a região do Alto Tietê, funciona em um prédio alugado na região central. A Prefeitura gasta, somente em aluguel, R$ 76 mil por mês, além do custeio estimado em aproximadamente R$ 3 milhões mensais.
O projeto do novo Hospital Infantil de Guarulhos, que deve servir de modelo para o governo federal implantar em todo o Brasil, conta com estudos de viabilidade do BNDES, fornecendo os subsídios necessários para a formatação do projeto de concessão na modalidade de parceria público-privada, sem custo para o município. –